O Duplo Adiamento

The double postponement: men and women coping with childbearing intentions in their late 30s and early 40s

Objetivos (Goals)

Vários países europeus chegaram ao século XXI com fecundidades baixas ou muito baixas. Alguns tiveram ligeiros aumentos durante a última década, mas Portugal registou um declínio constante: de 2000 para 2011 o ISF passou de 1.6 para 1.28, atualmente um dos mais baixos da União Europeia.

Uma explicação para este recente declínio prende-se com o aumento das descendências de filho único aliado à diminuição dos nascimentos de 3ª ordem ou superior, mas também ao adiamento da transição para o 2º filho, tendência que tem vindo a crescer desde as coortes nascidas nos anos 50. Adiar o nascimento do 2º filho em vários anos tornou-se um comportamento reprodutivo comum e uma causa para não se realizarem as preferências e as intenções reprodutivas.

Mas se este adiamento está no cerne das mudanças recentes, será realista esperar um aumento do childlessness (não ter filhos) enquanto resultado da intensificação do adiamento da parentalidade nas coortes mais jovens, como já acontece noutros países? Em Portugal, este duplo adiamento está já em curso entre aqueles que ainda estão em idade reprodutiva. Como revelou um inquérito nacional recente, para os homens e as mulheres que nasceram entre 1970 e 1975, ter apenas 1 filho passou a ser tão frequente como ter 2 e permanecer sem filhos até perto dos 40 anos não é incomum.

Este projeto pretende inovar o questionamento sobre as intenções reprodutivas no atual contexto de adiamento e de complexificação das decisões, especificamente em relação às transições para o 1º e o 2º filho em coortes que estão próximas do fim do período reprodutivo. Para tal, a investigação desenvolverá duas abordagens metodológicas: uma qualitativa, baseada em entrevistas em profundidade a homens e a mulheres entre os 35 e os 45 anos, de forma a desvendar como se equacionam as transições para o 1º e o 2º filho em diferentes situações conjugais (numa primeira conjugalidade ou noutra; ou mesmo quando não se está em casal); e outra quantitativa, centrada na análise dos dados dos Censos 2011 e 2001, bem como de outras fontes, para retratar as atuais tendências demográficas relativamente ao adiamento, ao childlessness e ao filho único em Portugal, sublinhando as mudanças mais marcantes da última década.

The double postponement: men and women coping with childbearing intentions in their late 30s and early 40s

If several European countries came into the 21st century with low or even very low fertility, some experienced slight increases during the last decade, while Portugal underwent a steady decline: from a TFR of 1.6 in 2000 to 1.28 in 2011, one of the lowest in the European Union.

An explanation for this recent drop is linked to the increase in only-child parities along with a cut-back in 3rd and higher birth orders, but also the postponement of the transition to the second child, an upward trend at least since the cohorts born in the early fifties. Postponing this childbirth several years became a common fertility behavior and an increasing pathway to unmeet childbearing preferences and intentions.

But we do have to ask: if this postponement has been the core of the most recent shifts, is it realistic to expect an imminent upturn in childlessness as a result of further postponement of the younger cohorts, as is happening elsewhere? In Portugal, this double postponement is already in motion in cohorts that are still in their reproductive years, as a recent national survey has revealed: for men and women born in the early 70s having only one child is becoming as normal as having 2, and remaining childless until their late thirties is not unusual.

This research project intends to produce a further questioning in relation to childbearing intentions within the framework of contemporary postponement and decision-making processes, and specifically regarding the transitions to the first and the second child in cohorts that are coming close to the end of reproductive life.

To achieve this goal it will be undertaken two methodological approaches: a qualitative one based on in-depth interviews with men and women aged between 35 and 45, in order to understand how they cope with the transitions to the first and second child in different conjugal situations (alone and in a couple); and a quantitative one, regarding the analysis of data from the Census 2011 and 2001, as well as other sources, to portray the current demographic trends concerning postponement, childlessness and one-child families in Portugal, outlining major changes in a period of a decade.

Anúncios
Anúncios